header ads

Porto adota medidas especiais para gerir multidão esperada na passagem de ano

Fotografia: EPA/MANUEL ARAUJO


Uma eventual 
ação terrorista no centro do Porto durante a passagem de ano não é claramente a variável que oferece maior preocupação ao comandante da PSP, mas sim a gestão da multidão, já que se aguardam milhares de pessoas.

Falando em conferência de imprensa, o superintendente-chefe Paulo Lucas admitiu um cenário similar ao da passagem de ano anterior, em que umas 200 mil pessoas se terão repartido pela Avenida dos Aliados e zonas envolventes. Significa isto grande preocupação com o controlo de multidões. A ameaça terrorista não é claramente a variável que oferece maior preocupação à polícia, é a questão da gestão da multidão. Numa praça com aquelas características, vamos ter milhares de pessoas, afirmou.

Ainda assim, os populares não serão revistados ao entrar na praça, salvo uma ou outra pessoa com perfil de risco. Embora os comerciantes sejam impedidos de vender bebidas em recipientes de vidro, será permitido que as pessoas levem espumante, champanhe ou similares, indicou, pedindo que as garrafas sejam depositadas em contentores especiais.
Para recolher essas garrafas, a câmara municipal mobilizou 80 funcionários, adiantou o presidente da autarquia, Rui Moreira, também presente na conferência de imprensa. No passado, a passagem de ano no Porto foi marcada por apenas 61 ocorrências ligeiras, um número que Rui Moreira espera que possa baixar ainda mais.
O autarca manifestou a esperança de que as condições meteorológicas permitam uma nova enchente naquela que é a principal sala de visitas da cidade do Porto.

Festejos começam a 28 de dezembro

Apesar de a «festa maior» estar marcada para 31 de dezembro, as festividades de passagem de ano no Porto começam já na noite de sábado, com o primeiro de quatro concertos na Avenida dos Aliados, com a cantora Marta Ren e Orquestra Jazz de Matosinhos. No domingo, a partir das 18h00, decorre a tradicional Corrida de São Silvestre, com partida e chegada na Avenida dos Aliados.
É uma edição que promete ser histórica, já que juntará 17 mil participantes de 42 países, disse o presidente da câmara, Rui Moreira. Na terça-feira, a noite de passagem de passagem de ano no centro cívico do Porto inicia-se, às 22h30, com um concerto com o músico portuense de Tiago Nacarato.
O fogo-de-artifício, um dos atrativos da passagem de ano do Porto, será lançado exclusivamente a partir do edifício da Câmara Municipal a partir das 00h00 do primeiro dia de 2020 e terá a duração exata de 16 minutos, adiantou a vereadora da Câmara do Porto Catarina Araújo.
Após o fogo-de-artifício, está previsto novo concerto com Miguel Araújo, também artista portuense. Na praça dos Poveiros e no Largo Amor de Perdição haverá espetáculos alternativos, animados por DJ’s, até às 04h00.

Transporte público é a melhor forma de chegar ao centro

A melhor solução para chegar ao centro do Porto, aconselhou Rui Moreira, será através de transporte público, já que haverá fortes condicionamentos à circulação e ao estacionamento no centro urbano e a Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP), o Metro, e a CP asseguram transportes reforçados e ao longo de toda a madrugada.
Também para desencorajar o uso do transporte privado para o centro da cidade, os parques de estacionamento da Casa da Música, Campo Alegre, Metro/Dragão e Campo 24 de Agosto oferecem lugares com tarifários especiais.